Epic Games mostra a nova Unreal Engine na PlayStation 5

Epic Games mostra a nova Unreal Engine na PlayStation 5

13/05/2020 0 Por Redacção

A Epic Games, criadora de sucessos como o Fortnite, divulgou hoje um vídeo de demonstração da nova versão da Unreal Engine, a correr em hardware de desenvolvimento da ainda-por-lançar PlayStation 5. Motores como a Unreal Engine são os utilizados pelos grandes estúdios de jogos para produção de AAA games – os melhores títulos com os maiores orçamentos – ao permitirem rápida portabilidade entre as mais diversas plataformas, sejam consolas como a PlayStation (ou a Xbox), computadores, ou até mesmo telemóveis.

A demonstração do que a nova Unreal Engine permite fazer

No vídeo completo, a Epic Games incide sobre pormenores técnicos relacionados com a produção de luzes e sombras, ou até mesmo mostrando a quantidade imensa de triângulos que podem ser utilizados em simultâneo – é assim que se pode definir modelos 3D com formas mais realistas. E, de facto, realismo é o que fica bem visível nesta demonstração… a qualidade gráfica é impressionante.

No entanto, há um pequeno reverso para esta medalha – como é comum neste tipo de demonstrações, a mesma foi feita num ambiente ligeiramente controlado: o motor gráfico estava a correr a 1440p (2560×1440), e apenas a 30 frames por segundo – o mínimo para parecer relativamente fluído. E, de facto, a Epic Games reconhece isso – em declarações à revista de referência Eurogamer, fica claro que o propósito do vídeo é o de mostrar as novas funcionalidades desta versão da Unreal Engine, e não o de discutir performance. Ou seja, fica a ressalva que, entre plataformas, a qualidade gráfica poderá variar – é preciso tomar em consideração a resolução, o frame rate e a capacidade do hardware que vai correr os jogos. Para referência, as consolas da geração atual correm jogos nas mais diversas resoluções, desde os 720p ao 4K, entre os 30 e 60 frames por segundo, com e sem HDR… e no PC até é costume os jogadores quererem os jogos a correr a 75, 120, 144 ou mais frames por segundo, tirando partido dos seus monitores com uma taxa de actualização mais elevada – quanto mais próxima a taxa de frames por segundo estiver da taxa de actualização do monitor, mais fluído o jogo parece correr.

Contudo, com ferramentas como a Unreal Engine, os programadores podem geralmente desenvolver o jogo com toda a qualidade visual possível, e depois cortar no bling-bling à medida que a plataforma o necessite – ou dar essa opção ao jogador. É, aliás, esse o principal propósito deste tipo de motores gráficos – garantir que o programador só se preocupa em desenvolver o jogo em si, e fazer com que não tenha de pensar no que se passa por baixo, em termos de processamento gráfico, ou do que os vários computadores e consolas suportam.

Cada nova geração [de consolas, computadores, telemóveis] introduz novos desafios com os quais os programadores de jogos não têm de se preocupar. Nós queremos eliminar essa preocupação nesta geração, deixando os programadores focados em ideias específicas do jogo. Dá para fazer um jogo high-end para as consolas e fazer com que ele seja visualmente fantástico, mas também dá para garantir que ele funcione em telemóveis. Assim, dá para fazer com que o jogo chegue a mais pessoas, em vez de apenas aos jogadores mais hardcore.

Tim Sweeney, fundador da Epic Games

Se gostou deste artigo, pode acompanhar o TechFive no Google News aqui. Dúvidas ou sugestões? techfive@techfive.pt